Sexta-feira, 31.05.13

Solteiros geográficos

Um conceito made in Timor.

E é isto.
Reporter Timor às 03:04 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 29.05.13

Sinais de alerta

Viver em Timor e nunca ter comido num warung é como entrar no Hotel Timor e não ver portugueses.

 

Mas é preciso conhecer as regras, oh se é!

Então aqui fica o conselho: sempre que virem estas iniciais juntas "RW" significa que ali há cão e, possivelmente, gato também.

 

Nos warung, não todos, imagino, é possível comer naan asu, ou seja, carne de cão.

Eu não quero nem cheirar e consta que é duro de roer, literalmente.

 

E sim, eu como em restaurantes locais!

E estou de boa saudinha, obrigada.

Reporter Timor às 06:24 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Timoroan #2

Tem mais ou menos a minha idade.
Trabalha sete dias por semana por 200 dólares americanos.
Ainda não casou, nem tem planos disso, mas já há pressão na família, como é natural e expectável.

Não quer casar com um timorense mas tem que ser.
- A mana desculpe, mas com um português é que não!
Ri-me, com vontade de lhe dar razão.

Eis o retrato de uma jovem timorense com um plano: adquirir a cidadania portuguesa, aprender inglês e rumar a Inglaterra onde vive a irmã que, ao que tudo indica, só se queixa das saudades da família.

Depois é regressar a Timor.
- Como não?!, disse ela.

O povo timorense regressa sempre a casa. Como a história emocionante de um homem da resistência que, após mais de 20 anos em Portugal, voltou para Timor com os filhos e a mulher. E foi em casa que morreu, cumprindo-se o seu desejo.
Reporter Timor às 03:44 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 28.05.13

Deep blue

 

Domingo.

Uma manhã em sossego na areia branca.

 

 

Areia Branca
Reporter Timor às 03:10 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 27.05.13

Tétum ou a palavra dos poetas

 

"Isin rua", ou em português "gravidez", significa "dois corpos", "duas carnes".

 

"Tuur ahi" para dizer "dar à luz".

 

"Tuur" é sentar.

"Iha" quer dizer "luz".

 

As aulas de tétum aproximam-se do fim.

 

Seguem-se as aulas de bahasa indonésio.

Sexta-feira, 24.05.13

Amanhã na RTP Internacional

Amanhã mais uma edição de Timor Leste Contacto.


Eis o programa das festas:

- O primeiro Dia Internacional do livro em TL,

- Exposição sobre a Cultura Kemak em Marobo com uma entrevista com a Primeira Dama

- Reportagem sobre Kitesurf com o mar e as magníficas paisagens de Timor-Leste


Às 15h52 em Timor!
Em Portugal só na TV por cabo!

Mantenham-se em Contacto :)



Reporter Timor às 09:42 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Reporter Timor na RTP Internacional

 

A pedido de muitas famílias (a minha, basicamente) aqui está a segunda emissão do TLC deste ano. A primeira deve andar perdida, mas lá chegaremos. Enjoy!

 

http://www.rtp.pt/play/p1182/e115435/timor-leste-contacto/291231

Reporter Timor às 09:36 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

O inquilino

O moço anda aí pelo mundo de bicicleta. Repito. Pelo mundo. De bicicleta. Mas ainda só visitou a Indonésia. Bom, e agora Timor. Por razões que agora não interessam, foi lá parar a casa e foi muito bem recebido (isto digo eu, mas sou suspeita) por gente boa e que, apesar de sentir trucidado o nariz sensível, foi bastante discreta.

A estadia já ia numa semana quando o moço resolveu botar prosa. Diz ele que isto de ser cooperante é uma grande sem-vergonhice de quem vem explorar os timorenses. Que os emigrantes não deviam receber nem mais um tostão do que o que recebiam no seu país, em especial os professores, esses pelintras que andam aí a atormentar criancinhas. E que trabalhar para o governo é para quem não tem valores.

Ora bem, meu amigo, atente no seguinte:

- As cooperações são pagas pelos países de origem;
- É senso comum que a malta emigra para melhorar as suas condições de vida (há quem venha trabalhar, há quem ande aí a pedalar por montes e vales como você.);
- Os professores, sim emigrantes e cooperantes (você fuja deles, que são um perigo!), não ganham uma fortuna. E Timor e Portugal partilham em metades iguais esta despesa “doida”(!) para educar putos;
- Quem trabalha para o governo, e que por acaso até vive na casa que o acolheu, tem tanto de valores e educação que lhe deu guarida, de comer e mesmo depois desta conversa o tratou com respeito e educação.

Agora ide em paz, na pedalada no senhor, e a dormir e a comer na casa de gente humilde. E tem razão, isso não é exploração mas parasitismo.
Terça-feira, 21.05.13

Resumo de um fim-de-semana prolongado

Pôr os sonos em dia naquele pedacinho de céu que pode ser um quarto com ar condicionado nos trópicos.

E ler "Sinais de Fogo" de Jorge de Sena.

E dar nos gelados.

E na música.

E o telemóvel desligado.

E a cidade vazia.

Tãoooo bom.
Reporter Timor às 03:38 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 16.05.13

Port & Cheese e os bifes

 

Com tanto tuga na ilha tinham que nos arranjar uma alcunha.

 

Pork & cheese (isto dito assim alto soa a "portuguese").

 

Partilhei a minha indignação com uns quantos portugueses até uma alminha iluminada me ter respondido:

 

"O que eles queriam dizer era Port & Cheese".

 

É, acho que sim.

 

PS: Há 800 portugueses a viver em Timor-Leste.

 

PS2: Calhou isto ser-me contado por um BIFE com queimaduras severas na pele. LINDO!

Reporter Timor às 06:37 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

A ilha acaba já ali #3

Hoje foi dia de...

Ser ultrapassada por um táxi para logo depois ele andar devagar devagarinho.
Até que pára, formando-se uma fila enorme de carros numa das ruas mais estreitas da cidade de Díli. (ok, são todas estreitas. mas esta é uma rua e um mercado, uma e a mesma coisa. caótico!)

E eu, na linha da frente, assisto a este espectáculo:

O senhor sai do carro, dono de si, e abre a mala do carro.
E o que estava lá dentro, ãh?!
Nada mais nada menos do que uma cabra, toda compostinha como quem vai em primeira classe.
Até, coitadinha, saltar do carro, com um puxão violento.

Ele há coisas...
Reporter Timor às 06:18 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 14.05.13

A negação do ser

Conclusão da última aula de tétum:

 

"Só existe a negação do ser, não existe o ser".

 

Sim, estou a falar do verbo.

"Laos" para dizer não é.

"Los" para dizer sim.

Mas "é" não existe.

 

E de repente as aulas de tétum viraram aulas de filosofia num momento de pura distracção.

Reporter Timor às 06:55 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 13.05.13

Sobre a nostalgia

Durante muito tempo 2007 foi o melhor ano da minha vida.
Foi nesse ano que terminei a faculdade, que realizei o sonho da rádio e me apaixonei pela televisão (quem diria?!), comecei a ser jornalista, entrei no mestrado, fiz amigos para a vida.

Cheguei ao fim de 2007 com a sensação de que tinha vivido uma vida inteira em apenas 12 meses. mas também com a certeza de que dificilmente voltaria a sentir aquela coisa de estar no topo do mundo. As músicas que tocavam na cidade fm, rádio onde trabalhava na altura, foram e continuam a ser uma espécie de playlist da felicidade. E sempre que as oiço há uma espécie de botão que se liga e entre as minhas memórias e as vozes que vibram a sintonia é perfeita. Eu tinha 20 anos e e essas músicas inauguraram um ano maravilhoso que me mudou profundamente.

Não sei como, mas imagino que pelo tempo que as coisas demoram a chegar a Timor, a banda sonora desse ano é a que toca actualmente na rádio e nas festas.

Pode ser uma coincidência, que pode, ou então é apenas o universo a dizer "ora aí tens uma segunda oportunidade para ser feliz".
Reporter Timor às 08:18 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 10.05.13

Gay friendly!

 

"Os timorenses são tão machistas que até podem ser gays!"

 

Ouvi isto hoje à mesa do almoço, mais uma criação da brilhante e divertidissima N., e lembrei-me dos "queridos" que vejo todos os dias de mãos dadas, coladinhos e aos segredos.

 

Estão apaixonados, pois claro, e não o escondem. É bonito, que é, mas não é caso único.

É comum as pessoas perguntarem-se: mas como é que num país tão católico isto é "tão natural como a sua sede?".

 

A razão é simples: na Indonésia ter um filho gay é uma benção.

Tal como ter um filho médico, outro advogado e um ainda que é surfista ou artista ou sapateiro.

Enquanto nós andamos numa correria frenética para por tudo da mesma cor e no mesmo sentido, na Ásia a diversidade e a diferença - espantem-se! - é que tem valor.

 

É também por isto que eu gosto deste país.

Aqui ninguém é expulso de casa por ser gay e há até muito internacional (sim, portugueses também!) que são felizes nesta terra onde podem ser eles próprios, sem máscaras, sem merdas e amor.

 

Ele há coisa mais bonita?!

 

O "Magno" Gelado

Lembro-me perfeitamente da minha consulta do viajante.
Entre os muitos alertas, a grande maioria exagerados, diga-se, a médica saiu-se com esta:

"Você não coma gelados em Timor!"

Crédula, coitadinha de mim, lá comi o meu "último" gelado em Portugal na companhia da querida C.
Depois cheguei a Timor e percebi que o problema nem era a bicheza que se me podia colar ao estômago ou ao intestino mas o preço inflacionado da coisa. Só uma caixa de 1 litro, 12 dólares, PUMBA!

Deixei-me disso. depois fui à Indonésia e percebi que há gelado novo no cardápio: Magnum Gold.
Oh deus que as minhas papilas gustativas já não estão habituadas a isto!!
O desgraçado é mesmo bom e nem foram as promessas de dieta que me fizeram ficar longo do bicho mas a sua inexistência em Timor.

Mantive-me, portanto, longe deste amiguinho. Até ontem.
Descobri-o à venda a 1,90USD num supermercado. Inacreditável!
E até só custa mais 20 centavos do que na Indonésia, pufff...

Ah! dizer também que noutro dia, em desespero de causa, paguei 4,50USD por um clássico.
E soube-me pela vida.
E não, não chorei o dinheiro que o "bigode" de chocolate explica tudo o que me ia na alma. E nas coxas.

Não é possível fugir sem correr

É por isso que em todos os momentos livres que tenho, que são poucos infelizmente, vou para a praia correr.

 

Com sorte, volto a encontrar o miúdo que no Sábado dobrou a esquina na minha direcção, de braços abertos, como se estivéssemos a voar para o abraço um do outro. Até ele se encher de vergonha e dizer apenas “bom dia” e eu olhar em volta e perguntar-me “mas o que faz aqui uma criança sozinha?” como num sonho.

 

Não é possível fugir sem correr.

Então eu corro como uma criança de 8 anos.

E nesse momento sou livre das questiúnculas dos adultos.

Reporter Timor às 01:36 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 09.05.13

Sobre a saudade

Ontem na aula de tétum abordou-se o tema.

Nós portugueses, e falo por mim, vivemos orgulhosos de poder, numa só palavra, expressar um sentimento tão forte. Mais: a palavra “saudade”, por si só, caracteriza a nossa identidade como povo.

 

Bonito, não é?!

 

Pois mas os timorenses não se ficam atrás. E, claro, têm uma palavra com significado equivalente. Mais poupados no dicionário, que o tétum é dialecto não uma língua, “hanoin” é pau para toda a obra. Serve para sentir a falta de alguém mas também para pensar numa pessoa ou mesmo expressar uma ideia e um pensamento.

 

Ou seja, dizer que pensei em alguém é o mesmo que ter saudades dessa pessoa. Isto não há cá meios-termos, meus amigos, o que pode originar mal-entendidos.

 

Mas se formos a ver as coisas, a versão espanhola é mais trabalhosa. “Te echo de menos”, dizem os nuestros hermanos. Literamente quer dizer, assim numa versão aportuguesada, “largo-te menos da mão”, ou seja, “quero-te mais”. Fofinhos…

 

Tenho saudades de casa. E das minhas pessoas. E dos abraços e gargalhadas cúmplices.

 

P.S: Se quiserem poupar os olhos, leiam só a última frase. Na verdade, era tudo o que queria dizer.

Reporter Timor às 02:47 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 08.05.13

Notas de emigrante

Ser emigrante (também) é isto:

 

- Entrar num restaurante onde está a decorrer um jantar em homenagem ao "dealer do chouriço"
- Ir aos correios com uma sensação genuína de que é Natal
- Comprar uma melancia por 5 dólares (preço especial, atenção!) e comer como uma pequena Magali
- Vibrar por ouvir "ora aqui está o cafezinho!" num português perfeito, recém-chegado a Timor
- Partilhar o bacalhau e o queijo e o chouriço e o presunto (quando os há)
- Dizer coisas como "Portugal? agora só nas férias" sem orgulho nenhum

 

Dizer também que apesar de o meu país ser Portugal, a verdade é que escolhi Timor e há dias em que parece que ele também me escolheu a mim.

Reporter Timor às 07:18 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 07.05.13

Timoroan #1

Ou “O Timorense”.
É a nova rubrica na redacção.

Dei por mim a pensar noutro dia no desperdício que seria guardar só para mim o tanto que tenho aprendido com este povo. As coisas interessantes que me dizem e que, sendo tão simples, se revelam absolutamente surpreendentes. É, de facto, uma outra visão das coisas que eu acho que vale a pena conhecer.

O Timoroan de hoje é um artista a viver intensamente uma fase “Daliniana”. Está até previsto um evento para este Sábado “When Dali meets Marley”. E sim, estamos a falar do Bob Marley.

A conversa, embalada numa viagem de barco, começou com um esclarecimento: não nasci para peixe, o que eu gosto mesmo é de ter os pés colados à terra, esta vida de mar não é para mim (estamos a falar de uma pessoa que nasceu numa ilha em que, mais cedo ou mais tarde, todos pegam numa cana de pesca).

Dizia-me ele.

“Sempre achei muito curiosa a preocupação dos estrangeiros que vêm a Timor apresentar-nos o buraco do ozono e as mudanças climáticas como responsáveis pelo fim da vida tal como a conhecemos. Não percebo, é que as minhas montanhas continuam no mesmo lugar. Depois viajei, conheci outros países e percebi: vocês estão tramados, pá!, destruíram tudo.”

“Há uma coisa que nunca vou entender. Passo a vida a ouvir-vos falar em seguros de saúde, do carro, da casa, do telemóvel. A sério, eu não entendo e, confesso, farto-me de rir com essa malta que passa a vida a pagar para prevenir coisas que não aconteceram e nem sabem se vão acontecer. E deixam de viajar e de fazer coisas em família porque o dinheiro vai todo para essas empresas capitalistas que vos fazem temer tanto a morte e esquecer a vida. Vou-te dizer uma coisa: o próximo segundo é um mistério, a vida é um segredo por desvendar. Aceitem isso e vivam de verdade”.
Reporter Timor às 07:50 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 06.05.13

Ontem dei por mim a escrever isto

"Feliz dia da mãe! beijinhos da tua filha timorense"

 

Preciso de férias...

Reporter Timor às 14:03 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

mais sobre mim

pesquisar

 

posts recentes

últ. comentários

  • Adorei esta tua reportagem tão humana e intensa qu...
  • Olá Miguel. São questões pertinentes às quais pass...
  • Antes de mais, agradeço a prontidão da resposta.Se...
  • Miguel, pode colocar as suas questões aqui. Respon...
  • Gostaria de pedir-lhe que me contactasse para o mi...
  • És grande, Gi!
  • Lunchbox : http://www.filmesonlinebr.net/a-lanchei...
  • Olá, podes contactar-me para o email katealves@gma...
  • Caracóis por aqui? nunca vi.
  • Lol eles não iam achar graça nenhuma mesmo, nem qu...
  • oh my god...mais uma coisa para a minha lista e ma...
  • a sorte é que estou a chegar e vou revolucionar is...
  • Sejam bem-vindas ao paraíso ;)obrigada
  • Seremos duas, a aterrar!Parabéns pelo blog!
  • Que alegria ler a tua satisfação.... das várias es...
  • Obrigada pela correcção, Comando R-9.
  • Correccao: Nem a F-FDTL nem a PNTL usa a G-3. PNTL...
  • Fofinha linda Adorei este post...
  • Obrigada, mana! Isto ainda vai virar filosofia de ...
  • Amei este post mana:). Com poucas palavras se cara...

mais comentados

arquivos

subscrever feeds