Quinta-feira, 29.08.13

O balanço

A quatro aulas do fim do curso de bahasa indonésio, o balanço.

 

Foi um regresso aos tempos do gu-gu-dá-dá e gostei. Simples, previsível, perfeito para quem não gosta de coisas complicadas e tem pressa de aprender.

 

Disseram-me que há 2000 palavras com origem no português mas encontrei bem menos que isso, o que me deixou um tudo-nada desapontada, afinal, tanto trabalho a colonizar umas ilhas no pacífico para isto?! (estou, claramente e descaradamente a brincar, ok?!)

 

Ora tomem nota daherança da língua portuguesa no indonésio:

 

Nama = nome

Sepatu = sapato

Guru = mestre

Mau = querer

Gula = açúcar

Di luar = lá fora (ao luar, que bonito!)

Kios = quiosque

Sekola = escola

Nomor = número

Gereja = igreja

Sabun = sabão

 

Depois vem a influência do inglês, bem mais presente diria eu:

 

Beer = cerveja

Kelas = classe

Buku = livro

Homestay = hotel

Komputer = computador

Bos = chefe, patrão (a minha palavra preferida)

Es teh = chá gelado

 

Ah! e ontem descobri que na Indonésia também há uma forma para dizer "Ita boot", como no tétum. 

Orang besar, pessoa grande.

Depois também se diz "anak kecil", criança pequena.

 

E é isto, meus amigos.

Passou-se bem, com o melhor professor de línguas que já tive (gente boa o nosso Guru!), garagalhadas entre amigos e a sensação boa de que se veio para ficar nesta Ásia que me aquece o coração.

 

Bagus sekali!!

 

Reporter Timor às 02:22 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 28.08.13

Um livro sobre Timor-Leste

Anos 60.

Um português e a sua família a viver em Timor-Leste.

Um projecto do jornalista Carlos Narciso que faz um apelo a todos quantos passaram por Timor-Leste nos anos 60 e queiram partilhar as suas experiências.



Reporter Timor às 03:20 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Warung, bakso e outros sabores do mundo #2

 

Ontem foi assim. Francesinha à moda do Porto em Díli, Timor-Leste.

Malta do norte, sosseguem esses corações que o restaurante e a cozinheira são desse nosso Portugal.

 

Dizer que, puxa!, isto é mesmo pesado!

Que comi apenas metade e com imenso esforço, que o meu estômago habituado aos sabores vegetarianos da Ásia levou toda a noite a desmoer este pequeno animal, mas que é absolutamente d-e-l-i-c-i-o-s-o.

 

Disponível no Restaurante Titos por 12 dólares.

 

Recomendo!

 

 

 

 

 

 

 

Terça-feira, 27.08.13

Mana Kiik

Por razões profissionais passo a vida a dizer “ita boot”, ou “tu, o(a) grande”. É uma forma de respeito, de tratamento formal a que me habituei com facilidade, primeiramente por achar graça, depois por, à falta de mais opções, perceber que era a melhor forma de mostrar o meu respeito.

 

Menos comum é dizer-se “ita kiik”, “tu, o(a) pequeno(a)”. A tendência é elevar-se as pessoas, não diminui-las. Mas a minha mana kiik é-o por analogia à mana boot, uma forma de dizer que ela é uma pequena-grande menina. Linda, sorridente, olhos vivos.

 

Não terá mais do que 6 anos e trabalha no mercado. Sempre que lá vou procuro pela pequena Clara - "onde está a mana kiik? estou aqui mana boot" - falamos um pouco enquanto ela põe os legumes em sacos como se de ovos se tratasse. A minha mana kiik, natural de Baucau, não vai à escola. Ainda não tocámos nesse assunto mas havemos de lá chegar. Imagino que não tenha documentos de identificação, é que sem eles não pode inscrever-se na escola.

 

Depois há os sapatos, o uniforme, os livros, o material escolar, caros e por isso inexistentes. Há mas não tem, dizem os timorenses constantemente, agora percebo o seu sentido.

Reporter Timor às 03:33 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 26.08.13

Concerto em Los Palos

 

Esta sexta-feira a banda Klamar vai actuar pela primeira vez em Los Palos.

Klamar, que em português significa "fantasma", é uma banda timorense muito conhecida entre os jovens.

 

Já assisti a vários concertos e recomendo.

O próprio cenário, Los Palos, vai tornar este concerto absolutamente inesquecível.

No Sàbado a Evecom organizou uma recolha de fundos no Nu'u Lounge para apoiar os custos da viagem da banda até Los Palos. É um longo caminho mas com paisagens de cortar a respiração.

 

Ide, ide, minha gente!

 

 

 

 

 

Reporter Timor às 06:32 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

As sereias de Timor-Leste









Por David Palazón e Enrique Alonzo, com colaboração especial de Nelson Turquel e o apoio de Mário Gomes.
Reporter Timor às 02:51 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 23.08.13

Ouvido nos bastidores #4

Disse ele: Esquece isso, acho que já tiveste demasiados problemas no trabalho.

 

Ela respondeu: Desculpa, mas não posso aceitar que façam pouco de uma colega que chega ao trabalho com o olho negro, e que é seguramente vítima de violência doméstica, chamando-lhe coisas como "boxer" e afins.

 

E depois perguntou: Será que é porque sou mulher também?

 

Chegará o dia em que homens e mulheres se irão indignar com a violência doméstica, e fazer alguma coisa para mudar a situação, com a mesma sensibilidade e sentido de humanidade.

 

Em Timor. E no mundo inteiro.

Reporter Timor às 06:26 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 21.08.13

Warung, bakso e outros sabores do mundo #1

 

Timor ensinou-me que o bom da vida está precisamente em não fazer planos, em viver ao sabor do vento mas não exactamente à sombra da palmeira e antes, durante e depois, perceber como a vida pode ser, e é, um milagre.

 

As últimas semanas têm sido surpreendentes. Com corridas na praia ao fim do dia, mergulhos e pôr-do-sol. E nos intervalos disto tudo, sabores e gastronomias de todas as partes do mundo.

 

Díli, uma cidade surpreendentemente internacional, tem um sem-fim de experiências para oferecer e estava mais do que na hora de experimentar todas elas e cada uma de uma forma especial mas descontraída.

 

Vai daí, lembrei-me de inaugurar uma nova rubrica sobre as viagens do meu paladar ora num warung ou bakso, restaurantes indonésios, ora num restaurante ocidental. Depois há as bolas e berlim e os pasteis de nata, os sumos de frutas inesperadas e, ao que tudo indica, perigosas como é o caso do sirsak (ou graviola, uma espécie de anona em ponto gigante).

 

Nos próximos capítulos irão ver como se come bem por aqui, por apenas 2 dólares, com as mãos - que há dias em que talheres é coisa do futuro (ou será do passado?) - ou como encontrar um prego no pão ou uma francesinha em plena Díli.

 

Próxima paragem: warung, bakso, tasquinha ou restaurante?

 

 

Reporter Timor às 01:48 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 16.08.13

Primeira Página #6

Tony Blair em Díli para ajudar país a alcançar prioridades

 

O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair afirmou ontem em Díli, onde realizou uma visita de cerca de cinco horas, que vai ajudar o Governo de Timor-Leste a alcançar as suas prioridades.



"Tive um excelente encontro com o primeiro-ministro e falámos sobre formas de o meu gabinete cooperar com o dele para ajudar o país a alcançar as suas prioridades", afirmou Tony Blair no final de um encontro com o primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão.

Tony Blair chegou ontem a Díli para uma curta visita, tendo mantido encontros com o primeiro-ministro, Xanana Gusmão, e o secretário-geral da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), Mari Alkatiri.

Em declarações aos jornalistas, Tony Blair afirmou que "Timor-Leste é um país com um enorme potencial" e que agora é altura de o primeiro-ministro e os ministros se focarem na forma de melhor servir as pessoas e de criar infraestruturas.

"Faremos tudo o que pudermos para ajudar nesse processo. Timor-Leste é um país importante, com um papel importante a desempenhar e naquilo que pudermos vamos ajudar", disse.

A organização Associados Tony Blair trabalha com governos através de apoio e assessorias para implementação de reformas em áreas chaves da governação, modernização e implementação.

Questionado sobre a forma como vai ajudar o Governo timorense, o ex-primeiro-ministro britânico explicou que "o Governo vai definir as prioridades" e que o seu gabinete vai ajudar a implementá-las.

"É o que já fazemos em algumas partes do mundo. Pela minha experiência de governação, o mais difícil em governar é conseguir fazer as coisas. O difícil não é ter as ideias, é pô-las em prática", salientou.

No encontro com Xanana Gusmão esteve também presente o ministro dos Negócios Estrangeiros timorense, José Luís Guterres, que explicou aos jornalistas que Tony Blair foi a Timor-Leste para, em conjunto com o chefe do Governo, "discutir assuntos relacionados com a implementação de um programa" para melhorar a administração pública e a governação.

"A organização de Tony Blair vai dar apoio a Timor-Leste no sentido de melhorar a administração pública e a governação, para ser mais transparente e eficiente", disse.

Esta é a segunda visita de Tony Blair a Timor-Leste. A primeira realizou-se em agosto de 2011.

Fonte: Lusa 
Reporter Timor às 02:19 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Humilde homenagem

 

Os meus pais, pessoas cheias de mundo (na cabeça, mas sobretudo no coração) "obrigaram-me" a crescer num ambiente diverso, múltiplo, criativo. 

No seu círculo de amigos pode-se encontrar gente de várias latitudes, cores e personalidades.

 

Uma dessas pessoas nasceu em Timor-Leste. Leonor - ele há nome mais cândido? - foi a primeira timorense que conheci. Cheia de energia, sorridente sempre, humilde como poucos, uma mulher determinada, espírito guerreiro.

 

Chegou a Portugal nos anos 80 com o marido, militar português, e as três filhas de ambos que andaram comigo na escola. Lembro-me vagamente de a ouvir falar da tristeza que sentia pela ocupação indonésia e o sofrimento da família. Anos mais tarde, já viúva, criou as filhas sozinha e depois ainda os netos. Acho que nunca a vi sentada, repousada, no descanso dos deuses, era vê-la sempre a trabalhar numa correria desenfreada como se o tempo não lhe chegasse para viver.

 

Morreu na semana passada, vítima de cancro.

 

 

 

 

 

 

Reporter Timor às 01:53 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 15.08.13

Primeira Página #5

Díli Tony Blair reúne-se com Xanana Gusmão e Mari Alkatiri


O antigo primeiro-ministro britânico Tony Blair chega na quinta-feira a Díli, Timor-Leste, para uma visita de 24 horas, disse hoje à agência Lusa fonte do gabinete do primeiro-ministro timorense.




Segundo a mesma fonte, durante a sua estada em Timor-Leste, Tony Blair vai reunir-se com o primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, e o secretário-geral da Frente Revolucionário para o Timor-Leste Independente (Fretilin), Mari Alkatiri.

 

A fonte não adiantou mais pormenores sobre a visita.

 

O antigo primeiro-ministro britânico, representante do Quarteto para o Médio Oriente, esteve a última vez em Díli em agosto de 2011.

Na altura afirmou, em declarações aos jornalistas, estar "impressionado" com as mudanças ocorridas em Timor-Leste nos últimos anos.


Fonte: Notícias ao Minuto

Reporter Timor às 02:03 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Primeira Página #4

 

O Presidente de Timor-Leste, Taur Matan Ruak, afirmou, numa visita feita aos distritos, ter "vergonha" das estradas do país, refere um comunicado hoje divulgado pela Presidência timorense.



A afirmação do Presidente timorense foi feita durante uma visita que fez para diálogo com as comunidades aos subdistritos de Turiscai Vila e Laclubar, nos distritos de Manufahi e de Manatuto, respetivamente.

"As nossas estradas, as nossas infraestruturas são um grande problema. O pouco que fazemos está em piores condições em relação ao legado que a Indonésia nos deixou. O alcatrão que hoje pomos e que é tão sofisticado, amanhã está em mau estado. Como Presidente tenho vergonha", afirmou o Matan Ruak, citado no comunicado, depois de ouvir as lamentações da população.

Segundo o comunicado da Presidência timorense, o chefe de Estado disse também que as pessoas que fazem o "inaceitável também deveriam ter vergonha".

"Mas não a têm, porque a escondem. Por isso peço-vos que comecem a aprender a criticar o inaceitável", pediu às comunidades.

Durante a visita, que decorreu entre quinta-feira e domingo, o Presidente chegou a andar 10 quilómetros a pé para conseguir chegar a algumas comunidades.

"O caminho para a vossa terra é longo. Quando vinha a caminho, as minhas pernas fraquejavam. Mas como vos amo, não desisti. Se não vos amasse, tinha voltado para trás. O facto de eu ter vindo até aqui demonstra o quanto vos amo, porque foi daqui que noutros tempos defendemos a nossa nação. Estou contente por ter vindo apesar da distância," disse o chefe de Estado.

Na visita àquelas comunidades, Taur Matan Ruak ouviu das pessoas queixas pela falta de luz, água potável e de estradas.

Às pessoas, o Presidente pediu para trabalharem, porque há "muito trabalho pela frente que não pode ser feito apenas pelo Presidente e pelo Governo".

"Precisamos da contribuição de todos," disse o Chefe de Estado.

O Presidente timorense prossegue na quinta-feira a sua visita para diálogo com as comunidades que termina na próxima terça-feira em Same, costa sul do país, com a segunda cerimónia de desmobilização de elementos da antiga guerrilha timorense e com a inauguração da central elétrica de Betano.

 

Fonte: Notícias ao Minuto

 


Reporter Timor às 01:24 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 13.08.13

O Balinense

 

Quem anda pelo mundo sabe que é quase impossível não desenvolver uma relação estranha com taxistas. É que não basta indicar o destino e controlar o taxímetro (quando o há) ou acertar o preço antes de entrar. Uns gostam de conversar outros nem tanto, há-os honestos, desonestos e os assim-assim. Os que detestam turistas e os que nos adoram. Os que sabem onde fica Portugal e os que só lá vão pelo Cristiano Ronaldo.

 

Tudo certo desde que cheguemos ao destino, umas vezes em silêncio outras com conversas absolutamente geniais, dignas de uma reportagem a sério.

 

Este balinense ficou-me aqui a palpitar. Primeiro zangou-se. Queria parar para ir à casa-de-banho e eu achei que me ia levar para um beco qualquer. Disse-me "desculpe mas não peço autorização para mijar" e saiu.

 

Começámos mal mas depois a conversa fluiu. E fizémos as pazes com as nossas histórias. Ou as dele.

 

Nasceu em Bali e de lá nunca saiu. Quando perguntei qual era a cidade que mais gostava na Indonésia respondeu "sabe, eu não tenho tanta sorte como a senhora, não conheço mais do que isto que vê, mas sou taxista e assim posso viajar todos os dias".

 

Depois contou que nasceu numa aldeia típica balinense e que o seu maior medo é que o turismo a engula e destrua a agricultura e os maravilhosos campos de arroz. Não gosta de turistas nem da forma como Bali se moldou para os receber.

 

Disse-me: "my age is getting older", que é uma maneira engraçada de dizer "não estou a caminhar para novo" mas fingir que é só a idade e não ele para de seguida partilhar o sonho de um dia poder viver noutro lugar.

 

Sugeri-lhe Timor e perguntou "porquê". Respondi que uma das coisas mais importantes dos lugares são as pessoas e que ele ia gostar dos timorenses. Sorriu-me e repetiu "as coisas mais importantes dos lugares são as pessoas".

 

No fim pediu desculpa por "qualquer coisinha", tradução livre, claro está.

Não cheguei a perguntar-lhe o nome.

 

Reporter Timor às 03:23 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Nómada

Tinha 15 minutos para chegar ao dentista, do outro lado da cidade, em Kuta, Bali. Entrei no primeiro taxi que encontrei e disse "To Galeria Bali, please. Can you make it 10? Thank you". E foi tudo o que se disse em inglês.

 

Depois disso, descobrimos que Timor nos unia e portanto foi em tétum que a conversa se desenrolou, fluindo bem mais depressa do que o trânsito, diga-se. António, nascido em Oecusse, está a estudar Ciências Políticas na Indonésia. Estuda e trabalha, imagino que para se sustentar mas também para ajudar a família. Ou não fosse ele timorense.

 

A história repete-se. Este povo anda pelo mundo, ganha dinheiro e/ou conhecimento e depois volta à terra, à família.

 

A novidade, para mim, foi o quanto me comovi por me sentir em casa pelo simples facto de falar em tétum. Uma língua em que, não sendo nativa, me vem seguramente do coração. Ou isto ou sou uma maricas do pior!

 

Ser nómada é isto, senhores! E sim, já estou em casa, na minha casa que (também) é Timor.

Reporter Timor às 03:08 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

Ouvido nos bastidores #4

 

"Trabalho naquela clínica há anos e nunca vi uma mulher assim. Apareceu-me em estado de choque, ambos os braços cortados abaixo do cotovelo, golpes no rosto, impávida mas não serena, numa cadeira de rodas. O meu país está preparado para cuidar destas vítimas para o resto da vida mas o que fará esta mulher isolada numa montanha?"

 

"Pensei imediamente que no lugar dela me atiraria do primeiro penhasco que encontrasse."

 

Sem dúvida, o mais impressionante relato de violência doméstica que ouvi. E tudo porque o homem decidiu que a mulher dele, com cerca de 30 anos, era demasiado velha e feia para ele tendo decidido casar com uma rapariga, possivelmente, menor de idade. Com cinco filhos para criar, a mulher recusou-se a ficar sozinha.

 

Não consigo imaginar a tortura por que esta mulher passou. Nem como será a sua vida, possivelmente à margem da sociedade, depois deste inferno.

Reporter Timor às 02:54 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 01.08.13

"Hati-hati", "tugas" e "Kamus"

Há dias li um artigo com o seguinte título “52 argumentos para namorar com um trabalhador humanitário” e deparei-me com o seguinte (lá no número 45, já no fim da lista):

 

- Eles serão capazes de seduzi-lo com a mais romântica das línguas, Bahasa Indonésia. "Saya cinta Kamu". Ah. Aquece o coração.

 

“Saya cinta kamu” significa “amo-te” em bahasa indonésio, a língua que estou agora a aprender por razões de ordem profissional e geográfica. Confesso que de início (bom, na verdade ainda estou no início) a coisa custa a entranhar, os sons são muito diferentes e as frases gugu-dadá obrigam-nos a uma organização mental completamente nova, ainda que fácil de assimilar.

 

Algumas considerações acerca do vocabulário:

 

“Tugas” significa “trabalho”. Uma mensagem subliminar para o país que me viu nascer e que a Indonésia, antiga colónia, tão bem conhece associando a gente trabalhadora. Bom, isto sou eu a dizer.

 

“Teleponku” é a forma mais comum de dizer “o meu telemóvel”. Favor ler alto e depressa em especial se estiverem no trabalho ao lado do patrão. Harmless!

 

“Kamus” significa dicionário e só decorei porque me lembra Albert Camus e o seu “L’étranger”. A associação perfeita para o caso.

 

E agora um momento enternecedor…ou então não.

 

“Hati” significa coração. Mas “hati-hati” significa “cuidado!”, “atenção!”. Os indonésios sabem do que falam…

 

Sampai jumpar! ou Até para a semana!

Reporter Timor às 01:36 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos

mais sobre mim

pesquisar

 

posts recentes

últ. comentários

  • Adorei esta tua reportagem tão humana e intensa qu...
  • Olá Miguel. São questões pertinentes às quais pass...
  • Antes de mais, agradeço a prontidão da resposta.Se...
  • Miguel, pode colocar as suas questões aqui. Respon...
  • Gostaria de pedir-lhe que me contactasse para o mi...
  • És grande, Gi!
  • Lunchbox : http://www.filmesonlinebr.net/a-lanchei...
  • Olá, podes contactar-me para o email katealves@gma...
  • Caracóis por aqui? nunca vi.
  • Lol eles não iam achar graça nenhuma mesmo, nem qu...
  • oh my god...mais uma coisa para a minha lista e ma...
  • a sorte é que estou a chegar e vou revolucionar is...
  • Sejam bem-vindas ao paraíso ;)obrigada
  • Seremos duas, a aterrar!Parabéns pelo blog!
  • Que alegria ler a tua satisfação.... das várias es...
  • Obrigada pela correcção, Comando R-9.
  • Correccao: Nem a F-FDTL nem a PNTL usa a G-3. PNTL...
  • Fofinha linda Adorei este post...
  • Obrigada, mana! Isto ainda vai virar filosofia de ...
  • Amei este post mana:). Com poucas palavras se cara...

mais comentados

arquivos

subscrever feeds