E agora em tétum

ARKU-IRÍS

 

Manuel: Iha Timor Loron-loron hau haree arku-íris ida. Tamba sa? Hatene?

 

João: Tuir kultura timor nian bainhira ita haree arku-íris ida significa katak feto tolu mai iha rai atu haris iha tasi ibun.

 

Manuel: Feto tolu ne’e bonita tebes?

João: Loos, maibé feto ne’e hanesan anju ida. Mai iha rai atu haris depois semu tuir fali arku-iris.

 

Manuel: Bele koa’lia ho feto bonita ne’e?

João: Lae, la bele. Se hakarak koa’lia ho nian tenki foti nia roupa depois hein uituan.

 

Mário: Depois saída mak sai acontece?

João: Depois feto la iha roupa entaun labele baa lalehan.

 

Maria: Anju tolu ne’e bele sai fali mane, ka lae?

 

João: Bele!

 

Diz a lenda que sempre que um arco-íris cruza os céus de Timor, coisa que acontece praticamente todos os dias, há três mulheres-anjo que descem à terra para tomar banho no mar. E se alguém quiser falar com elas tem que lhes roubar as roupas e esperar que o arco-íris, a sua porta de entrada para este mundo, desapareça.

 

E, como diz o diálogo, quem diz mulheres-anjo, diz homens-anjo, não há cá discriminações!

 

Este diálogo é, na verdade, a reprodução de uma conversa real que tive com um colega de trabalho. Falávamos em tétun quando me lembrei que dava uma boa história para o trabalho de casa que tinha que fazer para a última aula do curso de tétum.

 

Foi uma pena não ter a câmara fotográfica comigo na altura...é que nunca vi um arco-íris tão perto e com cores tão definidas.

 

Reporter Timor às 01:48 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos