Excertos da história

Sobre o “môr do sândalo”.

 

“É pela correspondência oficial que sabemos que em 1522 dois tripulantes do navio de Sebastião de Elcano se evadiram em Timor e se puseram ao serviço de um mercador lução que lá andava por môr do sândalo, vindo a ser aprisionados por capitães de navios portugueses que ali andavam também.”

 

O fofinho do Frei Luís de Sousa.

 

“É pela História de São Domingos de Frei Luís de Sousa que sabemos que os melhores portos de Timor, “ordinária escala dos que buscam o sândalo”, eram os da costa sul, como Luca e Camenaça, mas que só eram praticáveis durante os três meses em que reina a monção de noroeste, obrigando os mareantes a recolher a Solor para aí invernarem mal havia sinais de querer mudar o vento”.

 

Malaca, a terra do meu tetra-avô que se tornou apelido de família.

 

“E é pelas cartas dos jesuítas de Malaca que sabemos que na segunda metade de Quinhentos se chegavam a juntar em Solor para invernar duzentos mercadores portugueses, sem que de um único conheçamos o nome”.

 

E parece que foram os comerciantes portugueses que descobriram a Austrália.

 

“Tampouco há que procurar nas páginas das crónicas quem terá sido o primeiro a topar com a Austrália, pois foi com toda a probabilidade um dos muitos mercadores anónimos que vogavam por ali.” E que pena não terem ficado na Austrália os portugueses porque, tendo sido eles os pais dos mestiços por esse mundo fora, não teriam, seguramente, levado à quase total extinção os aborígenes.

Reporter Timor às 04:45 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos