Na imigração

 

A visita é recorrente.

Obrigatória porque necessária.

Nem boa nem má.

Até ver bem sucedida sempre.

Exasperante, tem dias que sim.

 

Assim é a burocracia portuguesa que não faz falta a Portugal quanto mais a Timor!

(não dava para deixar apenas o bacalhau e o pastel de nata?)

 

Distraio-me com facilidade e na fila de espera demorei-me em frente à televisão sem perceber nadinha do que se dizia.

 

(as aulas de indonésia começaram quarta-feira, sei dizer o meu nome, boa tarde e bom dia, quanto custa isto, motor e bicicleta, palavras que quando juntas significam mota)

 

Pois que o programa era sobre apanhados. Gente famosa que recebe uma chamada e fica meia hora a justificar-se de coisas que não fez perante câmaras ocultas. uns de perucas coloridas na cabeça, outros com óculos gigantes e coisas da Hello kitty.

 

Pelo "bagus bagus" frequentemente referido posso jurar que era um programa Indonésio mas podia bem ser do Japão.

É, às vezes esqueço-me que estou na Ásia.

Preciso de ver mais televisão.

 

Depois chamaram o meu nome, que é russo, e falámos em tétum.

O passaporte fica pronto dentro de uma semana.

 

Reporter Timor às 08:16 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos