Preço Malae'e

 

O meu senhorio viveu em Lisboa nos últimos quatro, cinco meses.

Telefonou-me ontem para por a conversa em dia. Diz que adorou Lisboa, uma cidade muito bonita, que as mulheres - ui! - uma beleza, ficou até muito amigo de uma pessoa da minha terra que ele já sabia ser gente boa (fofinho) mas que, enfim, não trocava Timor por um país onde tudo é tão caro.

 

Oi?! estive a um isto de lhe dizer que viver em Díli é significativamente mais caro, que os preços são absurdos e tal coiso, até me ocorreu que ele tinha insandecido. Mas calei-me a tempo, no preciso momento em que me lembrei que ele é um cidadão nacional e eu a estrangeira. Teria eventualmente que lhe lembrar da discriminação que há para com os estrangeiros, os preços inflacionados e o trabalho que me dá negociar tudo e as vezes que deixo fruta local e da época para trás porque me pedem 4 dólares.

 

Não é que em Portugal os preços sejam justos, em especial agora, mas há regras, preços de mercado que não flutuam consoante as caras das pessoas. E essa é uma justiça de que sinto falta. Essa coisa de ser um cidadão igual aos outros, sem discriminação negativa ou positiva, porque também a há e não é pouca.

 

Preço malae'e la bele! - digo-o tantas vezes.

Reporter Timor às 01:26 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos