Directamente do Estádio Municipal, em Díli

Nunca assisti a um jogo de futebol da bancada, in loco, no estádio. Ou melhor, fui uma vez ao estádio mas para fazer a cobertura da final da liga feminina o que, naquele contexto específico, não me permitiu disfrutar ou não estivesse eu a tentar garantir entrevistas para gravar no intervalo.

 

Dizia eu que nunca assisti a um jogo de futebol, in loco, como se quer, coisa estranha para a "menina do papá" que acompanhava todos os jogos do Benfica e da Selecção Nacional. ah! e que adorava jogar futebol.

 

Mas adiante.

 

Sábado foi o dia. Sentei-me na bancada para apoiar Timor-Leste e sofrer as ânsias de quem queria muito que aqueles miúdos com menos de 15 anos e metade do tamanho dos jogadores da Tailândia vencessem.

 

Começaram a perder 0-1 para logo dobrar o marcador para 2-1. A maior parte do jogo foi passada na grande área da Tailândia e em menos de um minuto aqueles putos marcaram dois golos, assim, de caras. Fomos para intervalo a ganhar, o público em êxtase, os Tailandeses incrédulos e comigo a acreditar que sim, iam ganhar.

 

Chamem-lhes baixotes, magricelas, lingrinhas mas a verdade é que os putos são rápidos! o meu preferido, camisola número 19, era mesmo o mais pequeno em campo mas revelou-se um artista. Rápido, ágil e com estratégia de jogo. Também gostei o capitão de equipa, defesa lateral esquerdo (não sei porquê, os defesas são sempre os meus preferidos) que me pareceu um bom líder de equipa.

 

No fim, Timor-Leste perdeu. mas não foi com a sensação de derrota que saí daquele estádio. afinal, com o pouco apoio financeiro e - isto digo eu - a fraca preparação física, Timor-Leste foi grande em campo.

 

Diz que o próximo jogo é já daqui a duas semanas e eu vou lá estar, desta vez, com uma câmara fotográfica. que pena não ter fotografias desse dia grande. É, Sábado foi um dia para cima de espectacular!

Reporter Timor às 01:45 | link do post | Adicionar aos favoritos