10 dias!

 

Uma pessoa vira as costas por um segundo, calhou serem dez dias mas bem que podiam ter sido só 10 minutos, e esta malta pôs a máquina do tempo a mexer em direcção ao futuro.

 

Ele foram os semáforos que se multiplicaram (aguardem pela sumarenta rubrica "Bem-vindo desenvolvimento!", fáxavor), o palácio que iniciou pequenas obras, os meus senhorios que limparam o jardim em frente à casa e um sem fim de coisas que ainda hei-de descobrir ou não fosse este um país em (activo) desenvolvimento.

 

Antes de sair de Portugal reclamei, e agora bato na boca, que nada mudou na minha ausência de ano e meio. Que a vida continuou sem mim, é bem verdade, e que fora a nova rotunda da alta de Lisboa e a nova (des)organização do trânsito no Marquês de Pombal, não vi nada que me fizesse palpitar o coração de novidade. Agora, nostalgia houve muita meus amigos!

 

Dizer também que o relógio cá de casa parou e que quem lhe sabe acertar o ritmo não está em Díli.

 

Reporter Timor às 01:35 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos