O Mercado de Manleuana

Em Portugal não há registo de me verem entrar em lojas de roupa em segunda mão (coisa que acontecerá, seguramente, no futuro) mas em Timor é diferente. Posso ir às lojas do chinês deixar verdadeiras fortunas por trapos ridículos ou sair por esses mercados fora em busca do querido estilo ocidental.

 

E sou, efectivamente, adepta da segunda opção e devo dizer que não me tenho saído nada mal. Já comprei coisas de marcas espanholas, americanas, inglesas, australianas, algumas ainda com a etiqueta, e portanto novas, outras mais ao estilo vintage, coisa que me agrada bastante.

 

O mercado de Manleuana é, sem dúvida, o meu preferido. Foi lá que este Domingo encontrei o casaco que me vai proteger do frio nipónico este Natal e que bem podia estar pendurado numa qualquer zara. E por 6 dólares, meus amigos!

 

A Yves Saint Laurent e a Armani, como se vê na foto, também estão por lá.

 

Infelizmente não perguntei o preço, mas devia, para verem que aqui as marcas contam pouco. É para tapar do frio (na montanha), proteger do sol, quiçá das intempéries, e pouco mais. E era assim que devia ser. Sempre.

 

Reporter Timor às 04:58 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos