Timoroan #10

 

"Quando o meu filho começou a trabalhar para a ONU levou-me de presente a Portugal, França e a Roma para ver o Papa. Ele dizia-me se a mãe quiser descansar pode ficar no hotel eu respondia de volta filho, se era para descansar tinhas-me deixado lá em Timor.

 

Olhe, fartei-me de andar, de passear e à noite tomava um banho de água quente, aquilo parecia que me massajava os músculos, estou convencida de que faz muito bem à saúde.

 

Queria reencontrar o meu pai e conhecer a minha madrasta e as minhas irmãs, tenho duas irmãs!, mas não foi possível Lisboa é muito grande. A última vez que tive contacto com o meu pai foi em 2006. O meu filho, quando o foi procurar, descobriu que ele tinha morrido mas não me contou para eu não ficar triste. Disse-lhe não, filho, não estou zangada contigo."

 

Reporter Timor às 01:50 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos