A ilha acaba já ali #2

Katupa, o vendedor de fruta.

 

Katupa, o vendedor de fruta

 

Caminham durante horas, debaixo de sol, rua acima, rua abaixo, nas principais avenidas da cidade. Port vezes vão à praia e voltam o que há de dar uma média de 10km por dia, não menos. Abordam os estrangeiros ou mala'e mutin ou estrangeiros brancos. Banana, ananás, anona, maracujá, amendoin.

 

- Hira, maun? - pergunto quanto custa.

- Dólar rua, mana.

 

São dois dólares, negociáveis.

Os katupas são a excepção num país em que o comércio tem pouca alma. Estranho-lhes a falta de interesse pelos que passam, escolhem, regateiam. ou tentam, vá. É três dólares pegar ou largar. largamos. e é a inércia total. Avançamos para o vizinho do lado e o diálogo, ou a falta dele, repete-se. De quando em vez uma excepção.

 

Os katupas dormem na rua. trabalham na rua. Hão-de morrer na rua.

Em tétum quem diz "rua" diz "dois".

 

Mostrei-lhe a foto e disse:

- Kapaz.

Gostou.

Reporter Timor às 09:10 | link do post | comentar | Adicionar aos favoritos